• O Desenvolvimento do Bebê

    É natural que os pais tenham muitas dúvidas sobre o comportamento e o desenvolvimento de seus bebês e, por causa disso, a consulta ao pediatra costuma ser um momento bastante esperado. O desenvolvimento motor e de linguagem dos pequenos segue margens de normalidade esperadas a cada fase.

  • Qual é o melhor local para medir a temperatura?

    O mais indicado é a axila. Os médicos desaconselham o uso do termômetro de mercúrio na boca, porque existe risco de o aparelho quebrar e haver contato com o metal, que é tóxico.

    Uma Dúvida: Qual é a Melhor Posição para os Bebês Dormirem?

    De lado, de bruços ou de barriga para cima? Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a melhor posição para os bebês dormirem. Mas hoje em dia não há mais dúvida nenhuma. A melhor e mais segura posição é aquela em que o bebê fica de barriga para cima, com a cabecinha lateralizada.

  • Caderneta de Vacinação

  • O Desenvolvimento do Bebê

    Mês a Mês

    É natural que os pais tenham muitas dúvidas sobre o comportamento e o desenvolvimento de seus bebês e, por causa disso, a consulta ao pediatra costuma ser um momento bastante esperado. O desenvolvimento motor e de linguagem dos pequenos segue margens de normalidade esperadas a cada fase. Isto é, podem variar de criança para criança, mas existe um tempo máximo para cada situação ocorrer. "Quando os pais notarem algum tipo de estagnação, precisam conversar imediatamente com o pediatra, pois são sinais a investigar. É como se um alerta acendesse e é preciso analisar caso a caso", explica Durval Daniel Filho, pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo. Qualquer desvio da normalidade, ou atraso no desenvolvimento, responderá melhor à reabilitação quanto mais jovem for à criança. Conta pontos na hora de aperfeiçoar o cérebro infantil brincar, conversar bastante e estimular por meio de carinhos, dar beijos, mostrar figuras, fazer massagens na hora do banho e demais coisas que armazenam na memória o amor dos pais. Seu filho deve estar apto a fazer a cada fase do seu desenvolvimento:

  • PASSO

    Primeiro Mês

    É comum no primeiro mês o bebê acompanhar ruídos e objetos com os olhos. Ele também fixa o olhar no olhar do outro. É “durinho”, com a chamada hipertonia fisiológica. Ao colocarmos um objeto em suas mãos, ele as fecha rapidamente, por reflexo.

  • PASSO

    Segundo Mês

    O bebê ainda tem o corpo duro e se movimenta em blocos. Também começa a sustentar a cabeça e aparecem os primeiros sorrisos para o cuidador, em resposta ao seu estímulo afetivo.

  • PASSO

    Terceiro Mês

    O pequeno sustenta a cabeça voluntariamente e tenta alcançar objetos à frente. Ao passear, é importante deixá-lo numa posição em que seus olhos possam explorar as pessoas, os objetos e a paisagem. Nessa idade, os bebês estão amadurecendo as vias visuais.

  • PASSO

    Quarto Mês

    Caso o bebê ainda tenha dificuldades para firmar o pescoço sob o tronco, os pais precisam comunicar o pediatra, sem alarmismo. Para ajudar a estimular o pequeno, eles podem mostrar objetos coloridos, de diferentes formas, conversar perto e de ambos os lados para que ele vire a cabeça em busca do som. Tem início nesse período a chamada fase oral e, por causa disso, ele começa a levar objetos à boca. Ele também usa o corpo todo para se comunicar e respeita o tempo da fala do interlocutor.

    PASSO

    Quinto Mês

    O bebê começa a ficar sentado com apoio, que pode ser uma almofada, por exemplo. Os pais devem colocá-lo nessa posição por alguns minutos para fortalecer a coluna vertebral. No entanto, tempo demais pode sobrecarregá-lo. Algumas crianças podem começar a rolar pelo chão.

  • PASSO

    Sexto Mês

    Dessa etapa até o nono mês, é fundamental verificar se há um bom contato ocular: alguém olha e ele corresponde. Um sinal precoce de transtorno do desenvolvimento social e da comunicação é a falta desse contato de maneira consistente. Vale lembrar que alguém pode olhá-lo e ele corresponder desviando. Mas essa, muitas vezes, é uma atitude normal de timidez. No sexto mês, é ideal também que ele fique bem sentado com apoio e comece a experimentar isso sem auxílio. Levar o pé à boca é um gracioso comportamento dessa fase.

  • PASSO

    Sétimo Mês

    Aos 7 meses, o pequeno vocaliza vários sons indiscriminadamente e reconhece o tom de aprovação ou de desaprovação, quando um adulto fala com ele. Sua musculatura fortalecida permite que ele vire de bruços sozinho e se apoie nos antebraços para observar o ambiente.

  • PASSO

    Oitavo Mês

    No oitavo mês, de um jeito ou de outro, o bebê vai atrás dos objetos que despertam sua atenção e, quando os alcança, experimenta virá-los, sacudi-los, apertá-los, batê-los. É um curioso profissional! Para completar, descobre os prazeres da música e mexe o corpinho dançando para acompanhar os ritmos.

    PASSO

    Nono Mês

    Surgem os primeiros sinais de que os músculos estão firmes o suficiente para ele ficar em pé e aprender a caminhar. Não se trata de exagerar nos cuidados, mas de encorajar a criança com segurança. A interação com o bebê dará a você a medida certa de como agir em cada situação.

  • PASSO

    Décimo Mês

    Nesta fase, o bebê começa a balbuciar. Com mais algum tempo e um pouco de estímulo, o pequeno tagarela logo começa a disparar palavras completas, como mamãe e papai.

    PASSO

    Décimo Primeiro Mês

    Ao longo do primeiro ano, eles aprendem – cada um no seu tempo – a marchar sem apoio. Até por volta dos 15 meses, espera-se que falem dissílabos, como “mamã água” e “nenê colo”.

  • PASSO

    Um Anos

    O pequeno nessa fase apresenta a fala comunicativa e não só o que o cuidador consegue entender e interpretar. Após os 24 meses, se não houver fala, deve-se investigar o motivo do atraso. Aos 2 anos, eles também não são muito altruístas e compartilham pouco. Entre 18 e 30 meses, adora brincar de faz de conta, como dar banho em boneca e servir café para as “visitas”. Os meninos brincam de transportar e estacionar com caminhãozinho e carrinhos.

  • Fontes

    M de Mulher e Angélica Maria Bicudo Zeferino, professora doutora de pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp; Durval Daniel Filho, pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein; Maria Esther Ceccon, chefe da Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas; e Saada Ellovitch, neuropediatra do Hospital Samaritano.

MAIS DICAS

Três Dicas para quem está tendo Dificuldades para Amamentar

PASSO

Veja se a “pega” está correta. Isso significa que o bebê deve “abocanhar” TODA a aréola e não apenas o bico. O narizinho dele deve estar livre para respirar. O abdômen do seu filho deve estar em contato direto com o seu. Fique em uma posição confortável para vocês dois. Lembre-se que há mais de uma forma para segurar o bebê no seio.

PASSO

Veja se há fissura no bico do seio. As fissuras são pequenos cortes ou feridas que podem atrapalhar demais a amamentação, pois são extremamente dolorosas. Converse com seu pediatra, pois há pomadas específicas que podem ser utilizadas e que ajudam bastante. Tome Sol diretamente nos seios, sempre que possível. Isso mesmo. Faça, dentro de suas possibilidades, um “top less”. Dez a quinze minutos de Sol direto por dia, sem pomadas ou produtos nos seios, antes das 10 ou após as 16 horas. Ajuda a cicatrizar o bico lesado. Aproveite este tempo para também dar o banho de Sol no bebê.

PASSO

Não hesite em utilizar bicos de silicone ou produtos que protegem os seios. Isso mesmo. A indústria tenta ajudar as mamães que estão com dificuldades na amamentação por conta de lesões que são muito comuns no início. Ajudam também que tem os bicos dos seios invertidos ou planos. Até os seios se acostumarem com o processo da amamentação, estes produtos podem mesmo ajudar e garantir sucesso. Converse com seu pediatra ou com profissionais habilitados em técnicas de amamentação. Sem preconceitos.

Amamentar é um ato de amor, sem dúvida. Mas, como tal, não deve trazer dor ou desconforto.

Fonte

Retirado do site da Dra. Ana Escobar

  • Os Bebês devem ter Horários fixos para Mamar?

  • PASSO

    Claro que todos os bebês são diferentes, mas em geral eles mamam pelo menos 6 vezes em 24 horas. Alguns bebês são preguiçosos e precisam de encorajamento para garantir que se alimentem tão frequentemente quanto necessário e que tomem leite em quantidade suficiente.

  • PASSO

    Se o seu bebê está dorminhoco e preguiçoso para comer nos primeiros dias, saiba que, nesta fase, isso é totalmente normal. Espere até 4 a 4,5 horas de intervalo entre as mamadas durante o dia. Se, passado esse tempo, o bebê ainda não acordou você deve considerar acordá-lo para mamar. Mamadas excessivamente espaçadas podem, inclusive, diminuir a produção de leite, já que o seu cérebro entende que não é necessário produzir mais. Mas claro que isso pode variar de bebê para bebê, dependendo das necessidades e do ganho de peso de cada um. Seu pediatra é a melhor pessoa para te orientar nesta fase.

    PASSO

    Para os bebês mais dorminhocos, trocar a fralda antes da mamada e deixá-lo com pouca roupa para mamar pode ser um estímulo suficiente para acordá-lo. Durante a mamada, você pode mexer em sua bochecha, conversar com ele, fazer uma “ginástica” em sua perninha dobrando o joelho. São estímulos para ajudá-lo a continuar mamando.

  • PASSO

    Se o bebê nasceu com peso adequado e está ganhando peso normalmente, não é necessário acordá-lo à noite. Que maravilha! É hora de dormir! Durante as mamadas noturnas, acenda o mínimo de luz e procure não falar. Estas atitudes fazem com que você vá contando para o bebê que a noite não é hora para conversas ou brincadeiras! Todos dormem! Porém, se o bebê for muito magrinho ou ainda não estiver ganhando peso adequadamente, talvez seja necessário acordá-lo para mamar. Ainda assim, pouca luz e pouca conversa ajudam a sinalizar a diferença entre o dia e a noite.

    Cultive bons hábitos de sono desde os primeiros dias do bebê.

    Fonte

    Retirado do site da Dra. Ana Escobar

Uma Dúvida: Qual é a Melhor Posição para os Bebês Dormirem?

De lado, de bruços ou de barriga para cima? Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a melhor posição para os bebês dormirem. Mas hoje em dia não há mais dúvida nenhuma. A melhor e mais segura posição é aquela em que o bebê fica de barriga para cima, com a cabecinha lateralizada.

PASSO

Por quê? Os estudos mais recentes são unânimes em apontar a posição de bruços como a mais perigosa para bebês pequenos. Isso se deve ao fato de que foi observada uma relação importante e significativa entre dormir na posição de bruços e maior incidência da Síndrome da Morte Súbita do Lactente. Importante saber que esta síndrome não tem uma causa única que explique o óbito repentino de bebês. Não há sinais de engasgo, de asfixia ou de qualquer outra alteração. Os estudos observam claramente a relação entre a posição de dormir ( bruços e de lado) com maior incidência de casos.

PASSO

Coloque seu bebê para dormir de barriga para cima para que você também possa dormir tranquilamente bem!

Fonte

Retirado do site da Dra. Ana Escobar

Seu bebê precisa estar protegido de todas as formas. O ideal é que nos primeiros dias e meses de vida ele já tome algumas das vacinas necessárias para sua saúde. Verifique o Calendário de Vacinação e fique de olho em seu bebê